Recuperação Judicial

Em abril de 2013, a GPC Participações S/A e suas Controladas Apolo Tubos e Equipamentos S/A e GPC Química S/A (“Recuperandas”) ingressaram com pedido de Recuperação Judicial na Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro, o qual foi deferido em maio de 2013, pelo Juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro, nos autos do Processo nº 0116330-24.2013.8.19.0001 (“Processo”).

Tal medida foi adotada pelas Recuperandas com o objetivo de superar a crise econômico-financeira, proteger o valor dos seus ativos, atender de forma organizada e racional aos interesses da coletividade de seus credores na medida dos recursos disponíveis e, principalmente, promover a manutenção das suas atividades, seus valores de mercado e os empregos dos trabalhadores.

As Recuperandas vêm cumprindo tempestivamente todas as obrigações previstas no aditivo ao Plano de Recuperação Judicial em vigor, devidamente aprovado pelos credores e homologado pelo Juízo Recuperacional (“PRJ”). Tal fato foi corroborado pelo Administrador Judicial, em dezembro de 2019, que reconheceu o cumprimento substancial e regular das obrigações estabelecidas no PRJ pelas Recuperandas e solicitou ao Juízo que avaliasse a possibilidade do encerramento do processo de recuperação judicial.

Em 12 de novembro de 2020, após ouvido o Administrador Judicial e o Ministério Público, o Juízo proferiu sentença nos autos do Processo, declarando encerrada a recuperação judicial da Companhia e de suas Controladas, fato este devidamente comunicado ao mercado e acionistas da Companhia em 12 de novembro de 2020, através da divulgação de Fato Relevante.

A administração da Companhia está avaliando as providências a serem adotadas em razão de tal decisão e manterá os seus acionistas e o mercado informados sobre qualquer evento relevante relacionado ao tema.

Não há arquivos para o ano selecionado.

Recuperação Judicial